• EXPOSIÇÃO CICLANDO PELA VIDA – ROSANA LOUZADA

  • Voltar
 por 

Meu nome é Rosana Louzada, sou estudante de Licenciatura em Artes Visuais pela UFPEL, sou multi artista intuitiva e tatuadora. Arte é a forma que eu me comunico.
Sempre fui uma pessoa extremamente sensível e a sensação era que eu não me encaixava no mundo em que vivemos. Hoje eu aceito isso e gosto de falar sobre coisas que são importantes para mim.
O ritmo natural da vida, os ciclos da natureza é por onde eu tento seguir a minha vida. Respeitando a minha maneira de ver o mundo, sentindo as coisas que me atravessam, respeitando o meu ritmo e ouvindo o meu corpo.

O mês de outubro é lembrado principalmente pela Campanha  do OUTUBRO ROSA, que fala sobre auto exame, prevenção e diagnostico do câncer de mama. Essa é uma temática que até parece simples, mas não é. O câncer de mama é o que mais mata brasileiras e devemos sempre reforçar a importância das campanhas relacionadas ao outubro rosa.

Fiquei  pensando sobre essa temática e me deparei  com o primeiro tabu relacionado a nós mulheres: A nossa relação com o próprio corpo. Quantas coisas estão por trás desse simples ato de se auto examinar. Isso foi me trazendo algumas reflexões em relação ao auto cuidado.

Nesse sistema machista e patriarcal que vivemos, a maioria de nós não foi ensinada  a se olhar, se perceber, se priorizar e se amar. Pelo contrário, aprendemos a odiar nossos corpos.  Então, para falar sobre uma campanha de  auto cuidado e auto exame a gente precisa ir um pouco mais além. Quantas mulheres sentem ou conhecem o próprio corpo?

Muitas de nós não se permitem parar, descansar.  A mulher guerreira, que vai a luta sem pedir ajuda, não pode baixar a guarda um minuto. Mas a PAUSA é fundamental nesse processo de se amar e se cuidar.

Essas reflexões são fundamentais e quando ficamos mais conscientes da importância de cuidar do nosso corpo, em todos os aspectos, mente, alma, corpo e espirito, automaticamente descobrimos quem somos verdadeiramente .

O auto cuidar é um processo que precisamos construir. É um gesto de amor por nós que precisa ser prioridade nas nossas vidas.  Tomar um chá, ler um livro , ver uma serie, brincar com teu cachorro, entre tantas outras coisas. Isso é muito particular e vale tudo que nos faz bem.  Precisamos ritualizar momentos do dia a dia, para que virem momentos de conexão com nós mesmas. Nós com nós, sendo presente, sendo leve, sendo livre e sem culpa.

O quanto tu te conhece? O quanto do teu dia hoje, tu fez coisas por ti verdadeiramente?

Eu trouxe essa poética mais a fundo da PAUSA e do  auto cuidado para trazer essa reflexão para todas as mulheres através da minha arte.

Nesse movimento de não se conhecer e de odiar a si mesma, vem também à ideia de rivalidade entre mulheres. Essa ideia é muito inconsciente e internalizada e esta mais do que na hora de DESCONTRUIR  e pensar nessas questões.

Nós  aprendemos muito através do outro, através de inspirações de pessoas que nos cercam, que nos chegam ou que buscamos. É através desses exemplos, dessas outras vivencias que nos construimos.

Então, trouxe para o meu trabalho, inspirações de mulheres que me desdobraram e me auxiliaram no meu processo de cura e conhecimento. 

Os desenhos não tem rosto para que possamos  ver a pessoa e também nos reconhecer. Consiga se enxergar naquele corpo , sentir aquela vivencia, e trazer o ensinamento que precisamos. A gente se vê no outro, depois se percebe como uma pessoa real, que tem suas dores como todas as outras mulheres, mas também temos as nossas qualidades e a partir disso a gente começa a se dar o que merece.

E se nós aprendermos a nos olhar com mais amor? Se enxergarmos a outra com verdade?  Se nos olharmos com admiração e respeito? Quantas coisas boas podem sair dai.

A questão central que eu trago nessa exposição é: o que o nosso corpo tem a nos dizer? Qual a nossa relação com nossos ciclos? Para observar os nossos ciclos internos, precisamos desacelerar, pausar, se conhecer e se auto cuidar.

Quando eu falo em CICLAR pela vida, é a gente sair da mente e ir para o corpo. Ouvir o nosso corpo. SENTIR A VIDA! 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gorete Losada

outubro 20, 2021 às 9:03 am.

Que lindo! É uma arte saúde! Parabéns!

Katia

outubro 20, 2021 às 10:39 am.

Linda reflexão pela vida bjs

V. Luiza

outubro 29, 2021 às 2:00 pm.

Quanta sensibilidade, muito lindo.

Igor Guerreiro Nunes

novembro 5, 2021 às 7:05 pm.

Parabéns pelo trabalho!