• Exposição Virtual “Olhares sobre Lentes Dançantes” do Espetáculo A Dança dos Orixás

  • Voltar
 por 

Exposição virtual “Olhares sobre Lentes Dançantes” do espetáculo A
Dança dos Orixás da Cia. de Dança Afro Daniel Amaro no Museu Histórico
da Bibliotheca Pública Pelotense.

Durante 11 edições de 2017 a 2019 o espetáculo A Dança dos Orixás,
teve como registro histórico e artístico, a participação de quatro
fotógrafos, que com as suas sensibilidades, nos deixaram um arquivo
fotográfico da cultura negra e parte de sua história em Pelotas.

A Dança dos Orixás

Espetáculo que mergulha no universo da dança dos orixás, resgatando o legado
deixado aqui no extremo Sul do Brasil, a partir dos homens escravizados
que para cá foram trazidos e submetidos ao trabalho forçado na indústria do
Charque. O espetáculo conta com 7 bailarinos que representarão,
através da dança, 7 orixás diferentes. Dessa forma, o projeto pretende
valorizar a cultura africana e o legado que esse povo deixou em nossa
terra. Pois, onde no passado houve sofrimento, hoje é espaço para
aprendizado, reflexões e reconhecimento da cultura afro.

Elenco fotografado: João Cruz, Juliana Coelho, Carol Lopes, Naiane
Ribeiro, Érick Dias, Inajariane Vieira, Emanuel Brizolara, Débora
Mendes. Jucimara Pedra, Elen Pedra, Kamany Soares, Nayane Lima,
Daniele Rosa, Airton Marino, Lyndsem Varela, Larissa Duarte, Cleber
Vieira, Yuri Viere e Weslen Vieira.

A partir do dia 15 de setembro será realizada a II mostra dessa exposição com novas imagens.

Maio, Setembro e Novembro de 2017 à 2018
Fotógrafas: Roseane Duarte e Liége Ferreira: Duas amantes da fotografia movidas e
amparadas pela fé! Praticamos crença africanista e como tal
respeitamos as religiões e seus praticantes, africanistas ou não.
Objetivamos eternizar sua fé, sua crença, e seu axé, para que você possa reviver cada emoção sentida sempre que desejar, esses registros podem ser visto aqui em nossa página Folamí Mídias.
Também registramos em fotos os fatos que definem você, as quais você pode conferir em nossa outra página Folamí Fotos e Fatos.

Eternizar alguns momentos do espetáculo “A Dança dos Orixás”, em
registros fotográficos, foi uma honra para nós, pois o Daniel Amaro e
sua equipe confiaram em nosso trabalho desde o nosso início na
fotografia, nos abrindo muitas portas e oportunidades, nos permitindo
aprender um pouco mais a cada espetáculo. Pontuamos nossa imensa
gratidão por terem nos acolhido como integrantes da família “Cia de
Dança Daniel Amaro”, pois, mais do que um elenco ou uma equipe, eles
são: Família. Essa energia que eles carregam acrescida da energia
própria dos orixás, expressa em um lugar marcado por nossa
ancestralidade, com movimentos e ritmos da nossa cultura e fé, é o que
faz tão grandioso este espetáculo. Estamos novamente radiantes ao ser
mencionadas nesta exposição fotográfica, desejando que cada integrante
possa crescer profissionalmente, alcançando o sucesso, sem jamais
desfazer esse vínculo lindo e a sua fé, mantendo sempre este lindo
trabalho. Continuaremos aqui, torcendo e vibrando junto de vocês,
estando sempre a disposição, não só com a câmera em punho, mas com
qualquer eventualidade. Gratidão Daniel Amaro e sua Cia de Dança.
Amorosamente, Liége Ferreira & Roseane Duarte

Leandro Barbosa: Teólogo, Licenciado e Bacharel em história, Antropólogo Visual Mestre em Antropologia, atualmente é doutorando no (PPGant / UFPEL) com ênfase em estudos religiosos afro-brasileiros.
Graxaim é uma iniciativa de produção e compartilhamento de múltiplos conteúdos audiovisuais etnográficos, que assume como intuito a promoção contínua de diferentes produções individuais e coletivas.
Apresentamos como aporte as múltiplas abordagens pautadas por uma
perspectiva antropológica visual, ressaltando aspectos culturais, performáticos e artísticos em suas diversas expressões. A proposta é reunir estudantes e interessados em registros fílmicos e sonoros que possuam interesse pelo estudo das formas e expressões culturais,
manifestando linguagens e narrativas sensíveis na pesquisa antropológica.

FEVEREIRO DE 2020

Vilani, 55 anos, natural da cidade de Santo Ângelo, interior do
estado do Rio Grande do Sul, trabalhou no jornal Zero Hora de Porto, por 25 anos.  Suas principais influências são provenientes do neo realismo italino, principalmente dos diretores Vittorio de SIca, Luchino Visconti, entre outros. Desenvolve trabalhos documentais principalmente na região sul da América do Sul, documentando a formação étnica e transformações
sociais.

Participa da 15ª edição da Coleção Pirelli/Masp, de fotografia, de 2006, em São Paulo, uma das principais coleção de fotografia do Brasil que pertence  ao Museu de Arte de São Paulo ( MASP).

Ganhador do principal prêmio de fotografia do Brasil, o prêmio da Conrado Wessel, organizado pela Fundação Conrado Wessel, de São Paulo, em 2010, e finalista do mesmo prêmio nas edições 2009 e 2011.

Finalista por duas vezes do prêmio Esso, em 2006 e 2009, o principal
prêmio de jornalismo de do Brasil.

Ganhou o prêmio Leica – Fotografe Melhor, na categoria Preto e Branco,
nos anos de 2010,2011 e 2012.

2016/2-17 e 2018  Primeiro lugar no Concurso LatinoAmericano de
Fotografia Documental “Os Trabalhos e os Dias¨ em  Medellín/Colômbia,
organizado pela “La Escuela Nacional Sindical-Colombia”.

 Mostras Fotográficas, individuais:

 1999 – Guarani Ta-Angá – Ñande Reta Hesarai (Fotografia de Guarani –
Nosso Povo Esquecido), Antiga Sacristia da Igreja de São Miguel Arcanjo, São Miguel das Missões

2003 – Dopo l’Alba,descendentes de imigrantes italianos no Rio Grande do Sul, exposto em diversas cidades gaúchas, e na região do Vêneto, Itália.

2005 – Guarani Ta-Angá – Ñande Reta Hesarai (Fotografia de Guarani –
Nosso Povo Esquecido), no Centro Nacional da Fotografia Liceo Tito
Livio, Padova-Vêneto/Itália.

2005 – Mostra Retalhos do Além-Mar, A saga dos Poloneses no Novo
Mundo, exposta em diversas cidades do RS.

2009 – Mostra Compadre: ¿Que Pasa?, 50 anos da revolução cubana,
exposto na Jornada nacional de Literatura em Passo Fundo.

2009 – Mostra Retalhos do Além-Mar, A saga dos Poloneses no Novo Mundo, no Muzeum Historii Polskiego Ruchu Ludowego e Cesla – Centro de
Estudos Ibéricos e       Iberoamericanos da Universidade de Varsóvia/Polônia.

2010 – Mostra Retalhos do Além-Mar, A saga dos Poloneses no Novo
Mundo, em Buenos Aires-Argentina, dentro do Festival  Encuentros Abiertos.

2011 – Mostra Dopo L’Alba, Fotorio, no centro cultural dos
correios-Rio de Janeiro

2011 – Mostra Vila Dique, Foto Club Uruguayo de Montevideo-Uruguay

2012 – Mostra Futebol de Várzea, no Museu da Bahia Blanca, sul da
Argentina, dentro do Festival  Encuentros Abiertos.

2017 – Mostra “Olhares do Pampa” no festival iNSTANTES, em Avintes
Portugal e na Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Açores.

Mostras Fotográficas, coletivas:

2006 – 15ª edição da Coleção Pirelli/Masp, em São Paulo.

2013 – Mostra Coletiva de Fotógrafos Brasileiros em Bagdá – Iraque.

2014 – Mostra 190 anos da imigração Alemã, no Instituo Goethe, em Porto Alegre

Livro Individual:

“Olhos do Pampa¨, lançado em 2014. Referente ao cotidiano do homem do
campo e suas tradições, no estado do Rio Grande do Sul/Brasil.

Livro Coletivo:

No ano de 2017, lançou com os fotógrafos Leandro Taques e Gibran
Mendes, o livro “Yo Soy Fidel” – Despedida do povo cubano  a Fidel
Castro, em dezembro de 2016. 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cristina Gularte

setembro 1, 2020 às 10:15 pm.

As fotos ficaram lindas, transmitem a força desse espetáculo. Parabéns.