• EXPOSIÇÃO A FRONTEIRA PELOS FRONTEIRIÇOS

  • Voltar
 por 

O projeto de extensão “A fronteira pelos fronteiriços” surge com o objetivo de, não apenas realizar a divulgação científica de trabalhos desenvolvidos no âmbito do Grupo de Estudos Etnográficos Urbanos – GEEUR do Bacharelado em Antropologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) para a comunidade da região da fronteira Santana do Livramento /Rivera. Mas também, para ampliar o debate sobre fronteira com as comunidades daquelas localidades.

A pesquisa “Yo naci nuna frontera donde se juntan dos pueblos”: Uma (auto)etnografia situada entre o Brasil e o Uruguai”, desenvolvida por Isis Karinae Pereira foi a norteadora para a realização de ações de extensão junto à comunidade fronteiriça.

Essa pesquisa possibilitou, além de uma reflexão sobre o conceito de fronteiras, de comunidade, de marginalidade e periferia, também um debate sobre as relações entre a universidade e as comunidades após a finalização das pesquisas acadêmicas, as formas de restituição e o papel social da antropologia e da arqueologia.

A proposta de conteúdo é valorizar o portunhol como um idioma regional, identificar estratégias de legitimação de identidades locais, refletir sobre movimentos contra-hegemônicos, pensados a partir do comércio, da música, da poesia, da paisagem, entre outros elementos

A narrativa da exposição foi pensada em portunhol, o que foi um desafio pois são muitos portunhóis, por ser uma língua falada, e não escrita.

Os banners trazem relatos etnográficos e imagens da região. A proposta presenta-se como uma pesquisa colaborativa, pois envolveu as/os fronteiriças/os em sua concepção, criando narrativas que expressam pertencimento, articulando o passado e o presente.

A exposição é acompanhada por este Dossiê, que tem o objetivo de apresentar as ações do projeto, a proposta expositiva, incentiva os debates entre a universidade e a sociedade, servindo como material de apoio para o trabalho em sala de aula. Este tem formato de um Caderno Pedagógico que relaciona a exposição com artigos que apresentam diferentes debates sobre a fronteira.

Se você é professor e quer saber mais sobre como aplicar o tema Fronteira em sala de aula, acesse os cadernos do dossiê através do link abaixo:

https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/tessituras/article/view/14519

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Maria Laudecena

agosto 16, 2020 às 5:53 am.

Fronteiras brasileiras são uma mistura de nacionalidades com almas irmãs.Belo trabalho!